web analytics

A DESCONHECIDA SÍNDROME DO CORAÇÃO PARTIDO

Dôuglas Caixeta Nunes, Thais Soares Farnesi de Assunção, Rhana Carla Ruziska Tondato, Kellen Cristiny Gonçalves de Oliveira, Valdo Jose Dias da Silva

Departamento de Fisiologia, Instituto de Ciências Biológicas e Naturais, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba-MG.

Edição Vol. 5, N. 12, 24 de Dezembro de 2018

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2018.12.24.002

          As doenças cardiovasculares são responsáveis por cerca de 17,7 milhões de mortes anualmente, 31% de todas as mortes globais, segundos os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS, 2017). Dentre as diversas doenças cardiovasculares a cardiomiopatia de Takotsubo é uma doença descoberta a menos de 30 anos, e ainda, pouco conhecida pela população.

A cardiomiopatia de Takotsubo também conhecida como Síndrome do Coração Partido, Cardiomiopatia Induzida por stress ou, ainda, como Síndrome do Boleamento Apical é uma doença que ocasiona uma disfunção reversível no ventrículo esquerdo (VE) (Mejiá-Rentería HD, Núñes- Gil IJ, 2016; Gulsini G et al, 2016; Deshmukh A et al, 2012). Foi descrita pela primeira vez no Japão na década de 90 por Sato H et al. E o nome “Takotsubo” foi designado devido a imagem produzida por ventriculografia apresentar semelhanças a um recipiente utilizado na captura de polvos (Figura 1) (Gulsini G et al, 2016; Rihl MF et al, 2015).

fotografias do ventrículo esquerdo com balão apical, e do tako-tsubo ao qual o ventrículo se assemelha

Figura 1: Ventriculografia do ventrículo esquerdo (A) representa balonismo apical. Durante a sístole, parte mediana e o ápice do ventrículo esquerdo, não contrai, enquanto a base contrai normalmente. A forma é semelhante à de (B) um vaso usado para capturar polvos “tako-tsubo”. Fonte: Havard Health Publisinhg. Harvard medical school. Takotsubo cardiyopathy (broken-heart syndrome), 2018. Permission photos from Bilal Saeed, M.D., University of Toledo Medical Center, Toledo, Ohio (A), and Satoshi Kurisu, M.D., Hiroshima City Hospital, Hiroshima, Japan (B).

Predominante em mulheres com mais de 50 anos, geralmente após a menopausa, sugerindo que a redução dos níveis de estrogênio aumentaria a predisposição da doença. Além disso, o desencadeamento da cardiomiopatia é induzido por fatores estressantes físicos ou emocionais como por exemplo, uma doença súbita, perda de um ente querido, um acidente grave, desastre ambiental, entre outros. No entanto, outros fatores também contribuem para surgimento da Síndrome como o tabagismo, alcoolismo, ansiedade, hipertensão arterial sistêmica, dislipidemia, Diabetes mellitus e histórico genético de doença cardiovascular (Mejiá-Rentería HD, Núñes- Gil IJ, 2016; Gulsini G et al, 2016; Rihl MF et al, 2015; Deshmukh A et al, 2012).

Os sintomas mais comuns destes pacientes são caracterizados por fortes dores no peito e dispneia, assemelhando-se a um infarto agudo do miocárdio (IAM), o que geralmente pode induzir a um diagnóstico errôneo. Os critérios de diagnóstico ainda não estão bem elucidados. Segundo os dados do Registro Internacional Takotsubo (NCT01947621) e os Critérios de Diagnósticos da Clínica Mayo (Prasad et al., 2008), alguns critérios devem ser observados nos pacientes, como: hipocinesia, acinesia ou discinesia transitória do VE; elevação modesta de troponina cardíaca; anormalidades eletrocardiográficas ocasionando elevação segmento ST e/ou inversão de ondas T, ausência de miocardite e ausência de doença coronariana obstrutiva ou evidência angiográfica de ruptura aguda da placa. Este diagnóstico somente será possível seguido de uma angiocoronariografia (Figura 2) e ventriculografia (Figura 1A), comprovando a ausência de obstruções nas coronárias e o formato típico de “Takotsubo”. Apesar de não existir tratamento específico para a cardiomiopatia, normalmente utiliza-se os mesmos medicamentos para insuficiência cardíaca, como os betabloqueadores (Mejiá-Rentería HD, Núñes- Gil IJ, 2016; Gulsini G et al, 2016; Rihl MF et al, 2015; Naegele M et al, 2016; Reis JVG, Rosas G, 2010).

Figura 2: Angiocoronariografia: (A) Angigrafia da artéria coronária esquerda. (B) Angigrafia da artéria coronária direita. Fonte: Javed A, Chitkara K, Mahmod A, Kainat A. Takotsubo cardiomyopathy (Broken heart syndrome). JPMA-Journal of Pakistan Medical Association Students Corner Case Report. Vol.65, No.11, 2015.

          Devido ao desconhecimento e diagnóstico errôneo desta síndrome, tornam-se necessários estudos/pesquisas com propósito de diminuir a morbidade e mortalidade dos pacientes, e também, proporcionar uma terapia mais eficaz e acertiva. E uma das alternativas bastante utilizada é a utilização de células-tronco, o qual tem demonstrado resultados satisfatórios entre diversas doenças, incluindo as cardiomiopatias.

REFERÊNCIAS

Deshmukh A, Kumar G, Pant S, Rihal C, Murugiah K, Mehta JL. Prevalência de cardiomiopatia Takotsubo nos Estados Unidos. Estados-Membros.  Am Heart J. 2012; 164: 66-71.

Gulsini G, Serna S, Moris C, Taher A, Loke I. Takotsubo cardiomyopathu with left ventricular thrombus preseting as critical limb ischaemia. Oxfort Medical Case Reports. 2016; 8: 195-198.

Havard Health Publisinhg. Harvard medical school. Takotsubo cardiyopathy (broken-heart syndrome), 2018. Disponível em:< https://www.health.harvard.edu/heart-health/takotsubo-cardiomyopathy-broken-heart-syndrome> Acesso em 03/09/2018.

Internationa Takotsubo Registry (InterTAK Registry) (Inter TAK). U.S. National Library of Medicine. ClinicalTrials.gov. NCT01947621.  May 21, 2014. Disponível em: <https://clinicaltrials.gov/ct2/show/study/NCT01947621> Acesso em: 03/08/2018.

Javed A, Chitkara K, Mahmod A, Kainat A. Takotsubo cardiomyopathy (Broken heart syndrome). JPMA-Journal of Pakistan Medical Association. Students Corner Case Report. Vol.65, No.11, 2015.

Mejiá-Rentería HD, Núñes- Gil IJ. Takotsubo syndrome: Advances in the unerstanding and management of na enigmatic stress cardiomyopathy. World J Cardiol. 2016 July; 8(7): 413-424.

Naegele M, Flammer AJ, Enseleit F, Roas S, Frank M, Hirt A, Kaiser P, Cantatore S, Templin C, Fröhlich, Romanens M, Lüscher TF, Ruschitzka F, Noll G, Sudano I. Endothelial function and sympathetic nervous system activity in patients with Takotsubo syndrome. Internatinal Journal of Cardiology. 2016 September 8; 224: 226-230.

Organização mundial de saúde (OMS). Ficha de informação- Doenças cardiovasculares, atualizada em maio de 2017. Disponível em: <ttp://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs317/en/> acesso em 02/09/2018.

Prasad A, Lerman A, Rihal CS. Apical ballooning syndrome (Tako-Tsubo or stress cardiomyopathy): a mimic of acute myocardial infarction. Am Heart J 2008;155:408–17.

Reis JVG, Rosas G. Cardiomiopatia de Takotsubo: um diagnóstico diferencial da síndrome coronariana aguda: revisão de literatura. Rev Med Minas Gerais. 2010;20(4): 594-600.

Rihl MF, Haas P, Holthausen RS. Takotsubo Cardiomiopathy: Case Report. Revista da AMRIGS. 2015 Jan-Mar; 59(1): 30-34.

admin_cms

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

Anuncie
Seja um parceiro do Nanocell News. Saiba como aqui.

Inscrição Newsletter

Deseja receber notícias de divulgação científica em seu e-mail?

Aqui você irá encontrar as últimas novidades da ciência com linguagem para o público leigo. É a divulgação científica para os brasileiros! O cadastro é gratuito!

Alô, Escolas!

Alô, Escolas! é um espaço destinado ao diálogo com as escolas, públicas e privadas, seus professores e alunos de todas as áreas (humanas, exatas ou ciências) do ensino médio e superior. A seção Desperte o cientista em você traz notícias, dicas de atividades e experimentos para uso em sala. Aqui você encontra também informações sobre a coleção de livros publicados pelo NANOCELL NEWS sobre ciências e saúde, e sobre o Programa Instituto Nanocell de Apoio à Educação.

Edições Anteriores

css.php